Você está em: Home, Noticias

Notícias

14
MAI
USDA: safra brasileira de café deve crescer 2,3% na safra 2015/2016

Estadão Conteúdo

A safra brasileira de café 2015/2016 (julho de 2015 a junho de 2016) deve alcançar 52,4 milhões de sacas de 60 kg, o que corresponde a um crescimento de 2,3% em relação ao período anterior (51,2 milhões de sacas). O levantamento faz parte de relatório anual do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). A produção de café arábica deve totalizar 38 milhões de sacas, alta de 3,8 milhões de sacas ante a temporada anterior. A produção de café robusta (conilon) deve registrar queda para 14,4 milhões de sacas, diminuição de 2,6 milhões de sacas.

Segundo o USDA, no geral, a boa florada dos cafezais entre setembro e outubro do ano passado, as boas condições meteorológicas em outubro e novembro e entre março e abril de 2015, exceto para um período de seca em janeiro, contribuíram "para o desenvolvimento fisiológico dos pés de café, resultando em esperados melhores rendimentos em comparação com 2014".

O USDA argumenta que a redução da safra de café robusta é especialmente decorrente da baixa produtividade no Espírito Santo, principal Estado produtor, "como resultado de um período de seca prolongada e temperaturas acima da média durante os meses de verão". Além disso, continua o USDA, o Espírito Santo também tem enfrentado escassez de recursos hídricos, limitando o uso da irrigação em plantações de café, que são bastante comum naquele Estado.

A primeira estimativa oficial da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), de janeiro, projeta a safra 2015/2016 entre 44,11 milhões e 46,61 milhões de sacas. Desse total, entre 32,5 milhões e 34,40 milhões de sacas são de café arábica e entre 11,61 milhões e 12,21 milhões de sacas são café robusta.

A colheita nas regiões produtoras de robusta começou entre março e abril, enquanto os trabalhos devem começar este mês nas lavouras de arábica. "Vale a pena notar que o Brasil deve colher entre 4 milhões e 5 milhões de café arábica lavado, ganhando parte do mercado de países da América Central e da Colômbia", observa o USDA.

O consumo doméstico de café no Brasil está estimado pelo USDA em 20,58 milhões de sacas em 2015/2016 (19,5 milhões de sacas de torrado e moído e 1,08 milhão de sacas de café solúvel, respectivamente), um aumento de 250 mil sacas em comparação com o período anterior, refletindo projeções da Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC).

A exportação brasileira de café em 2015/2016 deve alcançar 33,33 milhões de sacas, 2,56 milhões de sacas abaixo do período anterior, em virtude da "menor disponibilidade esperada do produto", informa o USDA. Desse total, 30 milhões de sacas serão embarcadas como café verde, enquanto o embarque de café solúvel está projetado em 3,3 milhões de sacas.

O estoque final de café no Brasil na temporada 2015/2016 está estimado pelo USDA em 4,29 milhões de sacas, queda de 1,468 milhão de sacas ante o período anterior. O estoque público da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) foi projetado em 1,62 milhão de sacas em 31 de março. O estoque privado em 2015 ainda não foi divulgado pela Conab.

Veja notícias

11
MAR

Brasil vendeu mais soja essa semana

27
FEV

Produção de soja gera renda e melhoria no solo para renovação de canaviais

20
FEV

Milho e soja tem alta na primeira quinzena de fevereiro

19
FEV

Milho: Bolsa brasileira abre a semana com preços em alta