Você está em: Home, Noticias

Notícias

23
ABR
EUA recuperam atraso e plantio do milho chega a 9%

Cassiano Ribeiro
Globo Rural

Em uma semana, os produtores norte-americanos conseguiram recuperar o atraso inicial no plantio da nova safra de grãos (2015/2016) e largar as sementes de milho em 9% da área a ser ocupada pela cultura no país nesta temporada. Os solos ganham as sementes do cereal antes da soja, que deve começar a ser cultivada nesta semana na principal região produtora dos Estados Unidos, conhecida como Corn Belt. Ao todo, o país deve plantar milho em mais de 36 milhões de hectares neste ciclo.

Os dados fazem parte do relatório semanal de acompanhamento de plantio e condições das lavouras do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (Usda), divulgado na última segunda-feira (20).

A evolução dos trabalhos de campo foi de sete pontos porcentuais. Na semana passada, 2% da área estavam ocupados pelo milho. Nesta época do ano passado, a semeadura do grão alcançava 6% do terreno. Em relação à média aferida na quarta semana de abril dos últimos cinco anos, ainda há um ligeiro atraso. O índice histórico aponta para 13%.

Os maiores estados produtores de grãos norte-americanos aproveitaram o clima e colocaram as máquinas para trabalhar. Em Iowa, líder nacional na colheita de soja e milho, 7% a ser destinado ao milho já foram plantados, contra 2% nesta época do ano passado. O indicador atual está em linha com a média de cinco anos. Mais de 5,5 milhões de hectares devem ser destinados ao grão no estado.

Illinois está com 15% do terreno do cereal total a ser cultivado, ante 4% em 2014 e 21% na média histórica.

Texas é o estado com o plantio mais avançado até o momento – os trabalhos foram concluídos em 51% da área de milho. Em seguida aparecem a Carolina do Norte, com 40%, e Kansas com 23%.

Veja notícias

11
MAR

Brasil vendeu mais soja essa semana

27
FEV

Produção de soja gera renda e melhoria no solo para renovação de canaviais

20
FEV

Milho e soja tem alta na primeira quinzena de fevereiro

19
FEV

Milho: Bolsa brasileira abre a semana com preços em alta