Você está em: Home, Noticias

Notícias

09
MAI
Mondelez e D.E. Master Blenders formam gigante global do café

Reuters

A Mondelez International e a rival D.E. Master Blenders 1753, que detêm marcas como a Kenco e Douwe Egberts, respectivamente, vão unir suas unidades de café em um negócio com o objetivo de enfrentar a líder de mercado Nestlé.

O acordo anunciado nesta quarta-feira reúne marcas da Mondelez, como Carte Noire, com outras da Master Blenders, como L'OR, Pilão e Senseo, estas duas últimas vendidas no Brasil, além da Café do Ponto e Caboclo, entre outras.

A nova companhia será uma joint venture controlada pela holding JAB, dona da Master Blenders, permitindo que a Mondelez se concentre no seu negócio de "snacks", que inclui o chocolate Cadbury e os biscoitos Oreo --no Brasil, ela vende, por exemplo, o bombom Sonho de Valsa e bolacha Club Social.

A Mondelez, cujas ações subiam 8 por cento em Nova York, disse que vai receber cerca de 5 bilhões de dólares e uma participação de 49 por cento na nova empresa, a ser chamada Jacobs Douwe Egberts.

A Mondelez também anunciou um programa de 3,5 bilhões de dólares de reestruturação destinado a reduzir os custos e a aumentar as margens, atendendo à principal queixa do investidor ativista Nelson Peltz, que foi recentemente nomeado para o conselho da Mondelez.

Com uma receita anual de mais de 7 bilhões de dólares, será a maior empresa do mundo puramente de café, embora ainda significativamente menor do que o negócio de café de propriedade da líder mundial da Nestlé.

O Wells Fargo qualificou o acordo de "excelente decisão estratégica".

"Nós temos há muito tempo destacado o café como um motor de crescimento a longo prazo subestimado pela Mondelez, e, com a combinação de ativos com a Master Blenders, vemos cenário de maior probabilidade de criação de valor a longo prazo para os acionistas", disseram em nota de pesquisa.

A JAB, uma holding controlada pela bilionária família alemã Reimann comprou a dona da Douwe Egberts no ano passado por 7,5 bilhões de euros e adquiriu a rede de café dos EUA Caribou Coffee e Peet's Coffee & Tea em 2012, por 340 milhões de dólares e 1 bilhão de dólares, respectivamente.

Essas redes, que competem com a Starbucks e Dunkin Brands Group, não fazem parte da nova empresa. Também não faz parte o negócio do café da Mondelez na França, embora JAB tenha feito oferta por esse negócio.

Veja notícias

05
FEV

Ministra afirma que café será prioridade na agenda do Governo

15
JAN

Qualidade dos cafés brasileiros melhorou, diz pesquisa

07
JAN

Soja: cuidados na fase de florescimento podem incrementar colheita em 30%

26
NOV

Safras eleva previsão de produção de soja 18/19 do Brasil a recorde de 122,2 mi t