Você está em: Home, Noticias

Notícias

21
NOV
Safra de verão provoca otimismo nos produtores de soja do Paraná

Globo Rural

Nos últimos anos, os agricultores do centro-sul do Brasil têm tido motivos para comemorar, especialmente os produtores de soja. Agora, eles estão terminando de plantar a nova safra de verão.

O resultado da lavoura nos últimos anos tem deixado os agricultores do Paraná satisfeito. A safra 2012/2013 surpreendeu até os produtores que há quase meio século estão no negócio. O produtor Antônio Guadagnin toca em parceria com dois filhos 650 hectares de terra no município de Luziânia. Para que a nova safra seja tão boa quanto a última, o agricultor investiu bastante no plantio. “Eu comparo a terra com uma pessoa. Se ela está bem alimentada, não é qualquer doença que derruba. Se a terra está bem corrigida e bem tratada, não é qualquer seca que faz baixar a produção”, diz.

Antônio Guadagnin também investiu na compra de máquinas novas. “Eu comprei uma colheitadeira, um trator, uma plantadeira e a caminhoneta. Eu comprei tudo à vista. Eu vendi o soja. Aplicar o dinheiro não dá rendimento nenhum. Eu resolvi comprar as máquinas a vista daí”, diz.

O produtor é associado da Coamo, maior cooperativa do Brasil, que tem sede em Campo Mourão e reúne mais de 26 mil agricultores dos estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Segundo o presidente da cooperativa, Aroldo Galassini, como os agricultores estão capitalizados, nessa safra a venda antecipada de grãos, antes da colheita, deve cair bastante.

“Nós tivemos ano passado, 18 milhões de sacas vendidas antes da safra. E agora estamos com dez milhões. O percentual de endividamento é pequeno. Isso faz com que a pessoa não tenha a obrigação de vender rapidamente”, diz Galassini.

Os agricultores estão plantando mais soja e menos milho. “O pessoal está empolgado com a soja, com os preços que tivemos nesse período. E o milho, como caiu muito o preço, chegou ao redor do custo de produção, o pessoal desanimado com o milho e vai plantar menos milho e mais soja”, completa Galassini.

Segundo Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), essa situação deve se repetir em todas as regiões produtoras do país. Os primeiros levantamentos mostram que na safra de verão a área de soja deve crescer entre 3,7% e 6,4%. Já a área de milho deve sofrer uma redução de 3% a 6,5%. No Paraná, a queda ficará em torno de 25%.

O agricultor Ricardo Andrade, é um bom exemplo do que está acontecendo no campo. Nessa safra, ele não irá cultivar milho nem para fazer pamonha. O produtor plantou os 650 hectares da fazenda com soja e seguiu outra tendência da nova safra, de escolher variedades de ciclo mais curto. Ele também plantou 50 hectares de uma nova variedade de soja que promete ser resistente ao ataque de diversas espécies de lagarta.

Pelas contas da Coamo, hoje mais de 90% dos 20 mil produtores de soja da cooperativa estão trabalhando com variedades precoces e super precoces. Na região, essas variedades ficam prontas para a colheita de 10 a 15 dias antes das convencionais.

O bom momento da soja também pode ser medido pelos ganhos da cooperativa de Campo Mourão. O balanço deste ano ainda não está fechado, mas a previsão é de que a cooperativa fature mais de R$ 8 bilhões em 2013. Parte do lucro, algo em torno de R$ 200 milhões, será dividido entre os agricultores associados.

Veja notícias

19
FEV

Milho: Bolsa brasileira abre a semana com preços em alta

05
FEV

Ministra afirma que café será prioridade na agenda do Governo

15
JAN

Qualidade dos cafés brasileiros melhorou, diz pesquisa

07
JAN

Soja: cuidados na fase de florescimento podem incrementar colheita em 30%