Você está em: Home, Noticias

Notícias

11
NOV
Brasil fecha acordo de R$ 4 bilhões para exportação de milho para a China

Canal Rural

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, Antônio Andrade, e o vice-presidente da República, Michel Temer, assinaram acordos nesta quarta, dia 6, durante a reunião da Comissão Sino-Brasiliera de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban), em Pequim, na China. O primeiro trata de exportação de milho brasileiro ao país asiático e o outro de biotecnologia. Com o acordo, o Brasil vai vender o equivalente a R$ 4 bilhões do grão para o país asiático.

O protocolo assinado entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e Administração Geral de Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena da República Popular da China (Aqsiq) permite a exportação de milho brasileiro para a China. Com base nas garantias fitossanitárias negociadas, o Mapa emitirá um certificado fitossanitário que irá amparar as exportações a serem realizadas.

“O protocolo que assinamos hoje amplia o leque de produtos de alta qualidade e de preço competitivo que o Brasil pode propiciar à China” – disse Michel Temer, comemorando a parceria com os chineses.

Nos últimos anos, a China vem importando volumes crescentes do cereal e o Brasil, como grande produtor do grão, tem perspectivas de se tornar um dos maiores fornecedores de milho para este país. No ano passado, as exportações brasileiras do grão foram de 19,8 milhões de toneladas.

Biotecnologia

Outro acordo assinado entre o Mapa e o Ministério da Agricultura da China cria um grupo de trabalho para tratar de biotecnologia agrícola e biosegurança, o que facilita os entendimentos entre o Brasil e as autoridades chinesas nas questões envolvendo produtos geneticamente modificados.

Relações comerciais

O vice-presidente disse que o fato de as estatais chinesas CNPC e Cnooc participarem do consórcio que venceu a licitação para explorar o petróleo do Campo de Libra significa abertura para que outras empresas venham para o Brasil. “Temos projetos de infraestrutura extraordinários. Basta dizer que vamos ter 7,5 mil quilômetros de rodovias que queremos duplicar, ferrovias, especialmente na questão do trem-bala, e sabemos que a China é um dos principais países onde se desenvolveu a tecnologia dos trens de alta velocidade, e temos aeroportos, que vamos conceder à iniciativa privada”, disse.

O novo diretor da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Paulo Sérgio Oliveira Passos, acompanha o vice-presidente na comitiva. Passos foi ministro dos Transportes e deve assumir a presidência da empresa em breve. Segundo a EPL, este é o maior programa de investimentos em logística no Brasil, por meio do qual 7 mil quilômetros de rodovias e 10 mil quilômetros de linhas férreas devem ser concedidos ao setor privado.

Veja notícias

11
MAR

Brasil vendeu mais soja essa semana

27
FEV

Produção de soja gera renda e melhoria no solo para renovação de canaviais

20
FEV

Milho e soja tem alta na primeira quinzena de fevereiro

19
FEV

Milho: Bolsa brasileira abre a semana com preços em alta