Você está em: Home, Noticias

Notícias

11
ABR
Soja e milho operam em alta na CBOT buscando definir direção

Notícias Agrícolas
Carla Mendes

O mercado internacional de grãos busca encontrar um direcionamento na sessão desta quinta-feira (11) na Bolsa de Chicago. Segundo analistas, o impacto dos números divulgados ontem pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) não foi tão expressivo e já começa a ser "esquecido" pelos investidores.

Na abertura do pregão regular, por volta das 11h (horário de Brasília), o vencimento maio/13 para a soja operava com alta de 5,75 pontos, cotado a US$ 13,98/bushel. Os demais contratos operavam em campo misto, próximos da estabilidade. Já no milho, as posições mais negociadas subiam, com as de curto prazo registrando altas mais expressivas.

"O mercado está precisando encontrar um caminho, olhando mais para o lado positivo do que negativo. Os números do USDA frustraram todo o mercado já que não reflete a realidade dos principais países produtores", explica Vlamir Brandalizze, consultor da Brandalizze Consulting.

Frente a isso, os investidores voltam-se novamente aos fundamentos, que seguem indicando uma oferta restrita diante de uma demanda ajustada, e começa a a atentar-se cada vez mais às informações sobre a nova safra dos Estados Unidos.

"O clima nos Estados Unidos ainda está indefinido. O inverno foi muito longo, continua muito frio ainda nas principais regiões produtoras dos EUA e isso vai atrasar um pouco o plantio do milho, o que deverá atrasar todo o processo dos produtores norte-americanos, o que já começa a ser observado pelo mercado", afirma Brandalizze.

O consultor afirma que o cenário é o mesmo tanto para o milho quanto para a soja, uma vez que ambos os mercados esperam novidades sobre a produção dos EUA e, à espera dessas notícias, acaba operando de forma técnica, tentando focar essencialmente os fundamentos de oferta e demanda.

"No caso do milho, se o mercado fosse seguir a risca os números que o USDA mostrou os preços teriam registrado uma forte baixa", completa.

Nesse cenário, a orientação de Brandalizze é de que os produtores brasileiros operem com cautela, haja vista que os preços recuaram expressivamente nos últimos dias e, ainda segundo o consultor, poderiam exibir alguma recuperação nas próximas semanas.  

Veja notícias

20
FEV

Milho e soja tem alta na primeira quinzena de fevereiro

19
FEV

Milho: Bolsa brasileira abre a semana com preços em alta

05
FEV

Ministra afirma que café será prioridade na agenda do Governo

15
JAN

Qualidade dos cafés brasileiros melhorou, diz pesquisa