Você está em: Home, Noticias

Notícias

23
ABR
Vietnã embarca mais de 3 milhões de sacas de café

 

Países membros do FMI se comprometeram a contribuir 430 bilhões de dólares, aumentando assim as reservas para combater a crise européia. 
 
Especulações de que a China diminua os níveis de depósitos compulsórios dos bancos também ajudaram os ativos de risco, assim como resultados melhores no primeiro trimestre de algumas empresas americanas.
 
Investidores entretanto ainda não estão convencidos em “baratear” o financiamento das dívidas da Espanha e Itália, e portanto os títulos destes países continuam sobre pressão.
 
As bolsas tiveram desempenhos levemente positivos, e as commodities conseguiram recuperar um pouco, mas apenas na sexta-feira.
 
O mercado de café em Nova Iorque começou a semana fazendo mínimas vistas apenas em outubro de 2010. Depois ficou negociando de lado, enfadonhamente, e então puxou US$ 3.30 centavos por libra no último pregão, fechando o período de cinco dias com perdas de US$ 1.65 por saca (base o contrato de julho de 2012). Na BM&F a queda foi similar, US$ 1.75 por saca, enquanto o robusta em Londres mais uma vez se mostrou firme, com ganhos de US$ 2.64 por saca.
 
A performance em geral até que foi “positiva” frente à desvalorização do Real brasileiro (que tudo indica caminha para o nível de R$ 1.90), e notícias de corte dos preços do torrado e moído na Europa e nos Estados Unidos.
 
No mercado físico viu-se poucos negócios, e os diferenciais estão nos mesmos patamares da semana passada.
 
Impressionante foi o número de exportações do Vietnã em março, que totalizou 3.12 milhões de sacas, volume que se aproxima do recorde do Brasil e que espelha a demanda forte pelo produto.
 
Um amigo e colaborador da Alemanha esboçou o quadro de forma muito clara em seu relatório recente, demonstrando que entre março de 2011 e fevereiro deste ano o aumento das exportações do robusta foi de 6,187,284 sacas, mais do que compensando a queda de 3,163,467 sacas de Brasil, e de 876,888 sacas de Colômbia (dados extraídos da Organização Internacional do Café).
 
O perfil de utilização dos estoques visíveis corrobora para a tese de maior utilização do robusta.
 
De volta ao Brasil a safra do conillon já está sendo colhida em algumas áreas, e dentro de um mês devemos ver alguns lotes novos de arábica.
 
No relatório de posicionamento dos traders os fundos não colocaram novas vendas nos livros (será o limite?), mas os que estavam comprados perderam a paciência e liquidaram 3,405 lotes – incrementando a posição líquida vendida para um novo recorde (considerando o “CIT report”). 
 
A figura técnica ainda encoraja os baixistas, mas a indústria deve continuar aproveitando para estender suas coberturas. Aos produtores que precisam de caixa parece que infelizmente não há muitas alternativas.
 
Uma excelente semana a todos e muito bons negócios.
 
Fonte: Archer Consulting//Rodrigo Costa

Veja notícias

11
MAR

Brasil vendeu mais soja essa semana

27
FEV

Produção de soja gera renda e melhoria no solo para renovação de canaviais

20
FEV

Milho e soja tem alta na primeira quinzena de fevereiro

19
FEV

Milho: Bolsa brasileira abre a semana com preços em alta