Você está em: Home, Noticias

Notícias

01
OUT
Consumo de adubos no RS tem recorde histórico

SIARGS

O consumo de fertilizantes no mercado gaúcho registrou em agosto último seu recorde histórico, com entregas da ordem de 512 mil toneladas, contra 454 mil toneladas no mesmo mês do ano passado, representando um incremento de 12,8%. A informação foi prestada pelo presidente do Sindicato da Indústria de Adubos do Rio Grande do Sul (SIARGS), Torvaldo Antonio Marzolla Filho, observando que o aumento da demanda gaúcha no mês foi superior ao nacional, que ficou em 10,8% com entregas de 3.455 mil toneladas, contra 3.117 mil toneladas em igual período do ano findo.

De janeiro a agosto de 2012, as entregas totalizaram 17.794 mil toneladas no país, num aumento de 4,8% em relação aos oito primeiros meses de 2011, quando foram entregues 16.971 mil toneladas. No RS, foram entregues no mesmo período 2.001 mil toneladas, correspondendo a um crescimento de 6,7% comparativamente a 2011, quando foram entregues ao mercado 1.876mil toneladas. O Estado do Mato Grosso concentrou o maior volume de entregas de fertilizantes no período, seguido de São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul em quarto lugar. Para todo o ano de 2012, a previsão de entregas no Brasil é da ordem de 29,0 milhões de toneladas, frente a 28,0 milhões de toneladas despachadas em 2011. No RS, a expectativa é de que seja atingido um volume de 3,5 milhões de toneladas, contra 3,4 milhões de toneladas em 2011.

Segundo o presidente do SIARGS, a forte demanda de adubos resulta, basicamente, da elevação dos preços das commodities agrícolas no mercado internacional e também, especialmente no caso gaúcho, da maior aplicação de insumos modernos pelos produtores rurais na tentativa de aumentar a produção e a produtividade das lavouras para reverter os prejuízos ocasionados pela estiagem verificada na última safra. 

Veja notícias

11
MAR

Brasil vendeu mais soja essa semana

27
FEV

Produção de soja gera renda e melhoria no solo para renovação de canaviais

20
FEV

Milho e soja tem alta na primeira quinzena de fevereiro

19
FEV

Milho: Bolsa brasileira abre a semana com preços em alta