Você está em: Home, Noticias

Notícias

07
AGO
Preços de milho vão se manter altos em 2013, diz Agroconsult

Empresas que compram milho no Brasil devem enfrentar um ano ainda mais difícil em termos de preço em 2013, na comparação com 2012, conforme projeção da consultoria Agroconsult, que projeta uma menor disponibilidade do cereal em 2012/13.

"No primeiro semestre (de 2012) os preços foram comportados e houve até queda de preços na medida em que foi ficando claro que teríamos uma safrinha muito grande", algo que não vai se repetir em 2013", disse o diretor da consultoria, André Pessoa.

"Vamos ter preços altos do começo ao fim do ano. Quando você pegar a média de preços de 2013 com a média de 2012, ela (2013) vai ser muito maior."

Os preços do cereal no mercado internacional começaram a subir e atingiram níveis recordes nas últimas semanas na bolsa de Chicago em função da perspectiva de grande quebra de safra nos EUA motivada pela pior seca em mais de 50 anos.

Pessoa destacou, em entrevista no intervalo do Congresso Brasileiro do Agronegócio, em São Paulo, que os preços no Brasil agora estão fortemente atrelados às cotações internacionais devido a uma grande procura por parte dos compradores internacionais.

"Certamente deveremos ter uma pressão compradora de milho brasileiro, pelos clientes internacionais, tão forte ou mais forte do que neste ano. Porque o grande fornecedor de milho do mundo, que são os EUA, vão ter o menor excedente exportável da história."

Projeção

Além de preços elevados, a oferta de milho na safra 2012/13 deve ser menor que a da safra 2011/12.

A colheita do período que está sendo encerrado deve totalizar 75 milhões de toneladas, segundo a Agroconsult.

Pessoa avaliou que a safra total no próximo período, da colheita de verão e de inverno, não vai ultrapassar 70 milhões de toneladas.

"Nós já vamos entrar na safra de verão com uma redução de com 1,1 milhão de hectares", disse ele, referindo-se a áreas de milho onde haverá plantio de soja no próximo período, com os preços da oleaginosa atraindo os agricultores.

"E na safrinha, em que pese a tendência de área plantada e o limite da disponibilidade de semente... Nós estamos vendo 7,9 milhões de hectares como limite da expansão de área plantada (com milho na safra de inverno)."

"Dificilmente nós vamos ter a repetição do clima que tivemos este ano, com chuvas em abril, maio, junho, que é época que não chove, o que beneficiou muito a produtividade do milho safrinha", completou ele.

Fonte: Reuters // Gustavo Bonato

Veja notícias

05
FEV

Ministra afirma que café será prioridade na agenda do Governo

15
JAN

Qualidade dos cafés brasileiros melhorou, diz pesquisa

07
JAN

Soja: cuidados na fase de florescimento podem incrementar colheita em 30%

26
NOV

Safras eleva previsão de produção de soja 18/19 do Brasil a recorde de 122,2 mi t