Você está em: Home, Noticias

Notícias

13
JUL
Exportações de café encerram o ano-safra 2011/2012 com receita de US$ 7,841 bilhões

A receita registrada no período ficou em US$ 7,841 bilhões e o número de sacas exportadas fechou em 29.768.744. As informações são do Balanço das Exportações divulgado hoje pelo CeCafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil).

Para Guilherme Braga, diretor geral da entidade, “o desempenho da safra 2011/2012 foi dentro do esperado. Apesar do volume exportado ter tido uma redução de aproximadamente 5 milhões de sacas, por conta da bianualidade, a receita superou a da safra anterior em US$ 417,551 milhões”. Segundo eles, ainda é cedo para se ter uma projeção em relação ao próximo ano-safra, que se inicia em julho. “Porém estamos cautelosos quanto ao volume e à qualidade do café que serão produzidos, em função das fortes chuvas que vêm ocorrendo em regiões produtoras. Nesse caso, a variedade mais afetada seria a de café arábica, que possui maior valor agregado”, afirma o diretor-geral do CeCafé.

Já o mês de junho apresentou uma queda de 43,3% na receita, se comparada à apurada no mesmo mês em 2011, atingindo US$ 407,785 milhões. O volume apurado no sexto mês do ano também apontou uma redução de 31,1% no total de sacas exportadas em relação a junho do ano passado, fechando em 1.881.914 sacas.

De acordo com o Balanço das Exportações, no ano-safra 2011-2012, 83,1% do café exportado foi da variedade arábica, 10,9% de solúvel, 5,8% de robusta e 0,2% de torrado & moído. Também segundo o estudo, os cafés arábicas diferenciados (especiais) já têm uma participação de 21% na receita cambial total das exportações no referido período.

O relatório aponta ainda que, de janeiro a junho de 2012, a Europa foi o principal mercado importador, responsável pela compra de 55% do total embarcado do produto brasileiro. A América do Norte adquiriu 19% do total de sacas exportadas, a Ásia, 19%, e a América do Sul, 4%.

Neste período, a Alemanha liderou a lista de países importadores, com 2.324.026 sacas importadas (18% do total exportado), seguida pelos EUA, com 2.182.112 sacas (17% do total) e a Itália, com 1.207.042 sacas (10%). O Japão ocupa a quarta posição, com 975.958 sacas (8% do total) e a Bélgica, com 879.720 sacas importadas (7% do total), ficou em quinto lugar.

O porto de Santos, que embarcou 77,3% do produto exportado (9.754.670 sacas), o porto de Vitória, que escoou 10,5% do total (1.327.038 sacas) e o porto do Rio de Janeiro, de onde saiu 9,1% do total (1.152.401 sacas) foram as principais vias de exportação do café no primeiro semestre deste ano.

Fonte: Portal do Agronegócio

Veja notícias

11
MAR

Brasil vendeu mais soja essa semana

27
FEV

Produção de soja gera renda e melhoria no solo para renovação de canaviais

20
FEV

Milho e soja tem alta na primeira quinzena de fevereiro

19
FEV

Milho: Bolsa brasileira abre a semana com preços em alta