Você está em: Home, Noticias

Notícias

12
JUL
Suinocultores e avicultores já sofrem impactos da disparada da soja e do milho

A alta no preço das rações animais vem prejudicando os setores da avicultura e suinocultura do país, e os produtores já vêem aumentos consideráveis nos custos de produção, já que entre os principais componentes da ração estão a soja e o milho - produtos que passam por momento de grande valorização de preços no mercado.

A estiagem nas áreas de plantio da oleaginosa e do cereal nos Estados Unidos fez os preços dos grãos subirem e atingirem recordes em Chicago nas últimas semanas, o que já influenciou o mercado brasileiro, onde as cotações também apresentaram alta.

Segundo Erico Pozzer, presidente da Associação Paulista de Avicultura (APA), o prejuízo no setor avícola será grande, com um impacto de mais de 15% na produção do frango vivo. Pozzer revela que do total dos custos de produção, 75% são direcionados à ração animal, e caso o cenário de alta nos grãos persista, o custo de produção do frango em São Paulo vai subir de R$ 1,75 para R$ 2,00, em média. “Com isso, não vamos poder vender a menos de R$ 3,50. Nossa atividade não é mais remuneradora. A situação está muito ruim, parecida com a dos suínos”, argumenta. “Vamos pedir para o Governo que tomem atitude parecida com a dos Estados Unidos, que suspenderam momentaneamente as exportações, até verificarem qual o volume de perda de safra. Deveriam fazer o mesmo aqui, tanto para a soja quanto para o milho, para garantirmos um bom estoque regulador”, revela Pozzer.

De acordo com o consultor de agronegócio Luciano Roppa, o alto custo da produção deve tirar 34% dos suinocultores da atividade no Brasil. A situação do setor suinícola é ainda pior, pois já existe uma crise originada por excesso de oferta e desvalorização da carne, que por si só já havia tirado muitos produtores da atividade. A alta no preço das rações só tornou o cenário mais caótico. “ A situação é extremamente delicada e não há condições de produzir suínos com o preço de soja e milho nesse patamar”, diz Valdomiro Ferreira Junior, presidente da Associação Paulista de Criadores Suínos.

Para Luciano Roppa, a solução para o problema do alto custo das rações não é a substituição do farelo de soja, e sim a adoção de uma política agrícola eficaz pelo Governo, que garantisse preços condizentes com o sistema produtivo brasileiro e assegurasse que a produção fosse sustentada. “Se o Governo tivesse uma política agrícola, poderia preservar o setor, que muito contribuiu para a melhora da balança comercial do nosso país”, diz. Na opinião dele, os produtores precisam de uma garantia de que os inviáveis custos de produção serão solucionados, com um preço condizente ao custo do produtor.

Roppa ainda frisa que caso nenhuma atitude seja tomada pelo Governo, haverá diminuição na produção e o consumidor é quem vai pagar a conta no próximo ano, aumentando a inflação do país.

Fonte: Notícias Agrícolas // Thaís Jorge 

Veja notícias

11
MAR

Brasil vendeu mais soja essa semana

27
FEV

Produção de soja gera renda e melhoria no solo para renovação de canaviais

20
FEV

Milho e soja tem alta na primeira quinzena de fevereiro

19
FEV

Milho: Bolsa brasileira abre a semana com preços em alta