Você está em: Home, Noticias

Notícias

06
ABR
Syngenta anuncia que passará a produzir fertilizantes
Produtividade para a soja e o feijão
Produtividade para a soja e o feijão

A empresa que lidera o mercado de defensivos no Brasil, a Syngenta, anunciou nesta quarta, dia 23, que vai passar a produzir fertilizantes. Durante o anúncio, realizado em São Paulo, os executivos da companhia prometeram um aumento de produtividade para a soja e feijão.

Um fertilizante que tem uma maior absorção, que ajuda a planta a aproveitar os nutrientes do solo e que com isso proporciona um aumento de produtividade. Estas são algumas das promessas do primeiro produto da linha de nutrição vegetal da Syngenta. Batizado de Quantis, o fertilizante é produzido a partir da cana-de-açúcar e chega ao mercado já para a safra que está sendo plantada agora.

- Primeiro é um produto que tem uma nutrição que a gente chama de especial, porque é um produto completo, que tem macro, micronutrientes, aminoácidos e também carbono orgânico. E isso já o diferencia da maioria dos produtos. Segundo que ele é um produto que tem uma única fonte, não é um mix de produtos. Ele sai já com essa concentração e isso permite uma melhor absorção - explica o gerente de novos negócios da Syngenta, Marcelo Gregorin.

A aplicação é foliar, ou seja, o produtor aplica o fertilizante nas folhas entre a floração e a fixação das vagens. Segundo o técnico da empresa e diretor de Soja Brasil da Syngenta, André Savino, o produto é recomendado inicialmente para as lavouras de soja e feijão e o custo deve ser compensado pelo aumento de produtividade.

- Nós tivemos em média 86% das áreas, mais de 100 áreas, apresentaram retorno sobre investimento. Tivemos áreas em que o retorno foi de três para um, ou seja, o custo fica em menos de um saco de soja e em todos esses ensaios retornaram três sacos para o agricultor. No entanto, a gente tem áreas com incremento de dez sacos, ou seja, áreas em que você tem um solo um pouco mais pobre - relata.

Entre os planos para os próximos anos está o lançamento de outros produtos da linha de nutrição vegetal. Para o Brasil, a expectativa é atingir um faturamento de US$ 100 milhões em 2014.

- Temos uma missão em termos de números para os próximos anos bastante alta. Esse é um produto de entrada, nosso primeiro lançamento. Estamos trazendo o que nós temos de melhor em termos de informação e conhecimento para iniciar este processo. Porém nós já estamos em desenvolvimento de outros produtos para acesso tanto na cultura de soja, também como para outras culturas - ressalta Gregorin.

Fonte: Portal do Agronegócio

Veja notícias

11
MAR

Brasil vendeu mais soja essa semana

27
FEV

Produção de soja gera renda e melhoria no solo para renovação de canaviais

20
FEV

Milho e soja tem alta na primeira quinzena de fevereiro

19
FEV

Milho: Bolsa brasileira abre a semana com preços em alta