Você está em: Home, Noticias

Notícias

31
JAN
Milho a recua a R$ 15,36 a saca para julho/agosto em MT

Revista Globo Rural

Com expectativa de boa produção em Mato Grosso, preço do milho deve estar ainda mais baixo que os atuais patamares (Foto: Ernesto de Souza / Ed. Globo)
Com expectativa de boa produção em Mato Grosso, preço do milho deve estar ainda mais baixo que os atuais patamares (Foto: Ernesto de Souza / Ed. Globo)

No boletim semanal de mercado divulgado nesta segunda-feira, os técnicos do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) destacam a desvalorização dos preços do milho no mercado a termo, com o contrato mais líquido da safra 2016/2017 cotado em média a R$ 15,36 para entrega em julho/agosto deste ano.

Os analistas do Imea cometam que a justificativa mais plausível para a queda está relacionada ao comportamento do câmbio, “que está cotado até neste momento em média de R$ 3,22”.

Segundo eles, devido à retração do dólar, tem ocorrido uma tendência de os preços dos contratos a termo no mercado local se aproximarem da paridade com a exportação para julho/17 em Paranaguá. O diferencial médio deste mês ficou em R$ 4,62/saca.

Na avaliação dos analistas, os preços ainda elevados do milho no mercado disponível continuam influenciando nos pedidos dos contratos a termo, “o que vem travando novas negociações do cereal para a safra 2016/2017”. Eles acreditam que daqui para frente, caso não haja mudanças significativas no mercado e se as condições climáticas favorecerem uma boa produção para esta safra em MT, “é possível que o preço do milho no Estado atue a patamares menores”.

Em relação ao avanço do plantio, os analistas observam que as chuvas vêm atrapalhando a colheita da soja em muitas regiões, “o que prejudicou também o andar da semeadura do milho”. Eles observam que o potencial da semeadura na semana passada estava em 16,6% pela estimativa realizada pelo instituto, porém, devido às chuvas mais intensas que ocorreram no final de semana até meados da semana passada, a semeadura de milho na média do Estado ficou em 10,23%.

Eles avaliam que se as condições climáticas ficarem ideais, esta semana a semeadura irá andar bastante, devido às áreas já aptas tanto para a colheita quanto para plantio. Mesmo abaixo do potencial e com as dificuldades quanto ao clima, a semeadura da safra 2016/2017 está 4,8 pontos percentuais adiantada quando comparada à da safra passada. Para esta semana, o Imea calcula que o potencial para a semeadura é de 33,5%

Veja notícias

20
FEV

Milho e soja tem alta na primeira quinzena de fevereiro

19
FEV

Milho: Bolsa brasileira abre a semana com preços em alta

05
FEV

Ministra afirma que café será prioridade na agenda do Governo

15
JAN

Qualidade dos cafés brasileiros melhorou, diz pesquisa