Você está em: Home, Noticias

Notícias

13
JUN
PIB do agronegócio recua 0,75%, aponta CNA

Segundo estimativa da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), o PIB do agronegócio recuou 0,75% no primeiro trimestre de 2012 em relação ao mercado período de 2011. A agricultura foi a grande vilã, com queda de 0,99% no resultado final, somente compensado pelo crescimento de 1,41% na atividade pecuária.

Ainda no dia 1º de junho, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o PIB da agropecuária havia despencado 8,5% no primeiro trimestre de 2012, explicado pela quebra da safra de grãos do sul do Brasil. O que difere do levantamento do Cepea são os preços da produção, descontada apenas a inflação do período, e o volume produzido.

Se considerados todos os elos da cadeia, o PIB da agricultura recuou 1,22% no período, pressionado principalmente pelo fraco desempenho da indústria processadora, que encolheu 1,98%. Os setores industriais ligados à agricultura mais afetados foram os de elementos químicos (-9,9%), têxtil (-6,09%), açúcar (-2,76%) e óleos vegetais (-2,17%). Já indústria torrefadora de café registrou expansão de 5,67%, acompanhada pelo segmento de "beneficiamento de produtos vegetais", que cresceu 2,39%. Ainda no agronegócio agrícola, os segmentos de insumos (-0,28%) e distribuição (-0,81%) também tiveram resultados negativos.

Já o Ministério da Agricultura (MAPA) revisou para cima sua estimativa para o valor bruto da produção (VBP) das 20 principais culturas agrícolas do país em 0,7% - de R$ 211,2 bilhões para R$ 212,7 bilhões em 2012. A comparação com o cálculo do ministério para 2011 (R$ 218,2 bilhões), porém, ainda indica uma queda de 2,5%.

Com relação ao montante reportado no último mês, a ajuste foi leve diante a melhora das expectativas para o milho, sobretudo pela grande safra de inverno projetada atualmente por órgãos oficiais. Assim, a previsão do VBP para o milho passa de R$ 30 bilhões, 3,8% mais que o estimado em maio e quase 20% acima de 2011.

Para a soja, o MAPA estima que a oleaginosa mantenha a liderança entre as culturas de maiores VBPs, com R$ 47,7 bilhões, mesmo com a quebra da safra de verão provocada pela estiagem no sul do Brasil. O valor é praticamente o mesmo que o previsto em maio e 13,6% inferior ao resultado recorde de 2011.

A cana-de-açúcar deve ficar em segundo lugar no ranking, com VBP de R$ 43,6 bilhões em 2012, mesmo valor estimado em maio e 8,5% acima do ano passado.

Fonte: Notícias Agrícolas // Juliana Ibanhes 

Veja notícias

20
FEV

Milho e soja tem alta na primeira quinzena de fevereiro

19
FEV

Milho: Bolsa brasileira abre a semana com preços em alta

05
FEV

Ministra afirma que café será prioridade na agenda do Governo

15
JAN

Qualidade dos cafés brasileiros melhorou, diz pesquisa