Você está em: Home, Noticias

Notícias

22
FEV
Café coado é um clássico que agrada a todos

O Serrano

O café de coador com certeza é um dos métodos mais utilizados no Brasil, e com razão, pois o café coado consegue apresentar características únicas em sua bebida, sendo estas não encontradas no espresso, na prensa francesa, na italiana, na aeropress, ou em qualquer outro método de preparação ou infusão.

Segundo o barista, degustador, classificador de café e engenheiro agrônomo Jonas Leme Ferraresso, o café coado tradicional possui cerca de 80 a 130 mg de cafeina por 200 ml de bebida, para se ter uma ideia um espresso possui 300 a 400 mg por 200 ml e uma bebida energética cerca de 70mg por 200ml. “Um café coado tem mais chance de te manter acordado que um latinha de energético”, disse.

Ele explicou que o café é consumido torrado e moído desde o século XIII D.C., porém só começou a ser coado na França por volta de 1780, vindo a se popularizar na Inglaterra em 1815.
Especialista no assunto, informou que os primeiros cafés eram coados em coadores de algodão ou linho, fato que deixava o café com gosto ranço devido a utilização continua, e precária lavagem do pano, pois a bebida ficava com resíduo de pó devido a má qualidade do trançado da malha do filtro. Em 1908 a dona de casa alemã Melitta Bentz irritada com a má qualidade de seu café devido ao uso de filtros de pano, começou a experimentar diferentes maneiras de preparar seu café; em junho do mesmo ano, provida de um bule de latão, o qual furou o fundo com um prego e utilizando um pedaço de mata-borrão como filtro no fundo, inventou o primeiro filtro descartável de papel da história.

O preparo de café coado é, atualmente, o método preferido entre os apreciadores de cafés especiais, por ser simples, bom e eficiente. “Existem hoje no mercado dezenas de porta-filtros (coadores) e filtros diferentes, desde os de melhor qualidade como: Hario V60, Chamex, Clever e Aeropress, até os mais clássicos como coador Melitta e o filtro de pano”, disse Jonas.

Ferraresso listou algumas orientações sobre como prepara um bom café com coador

1 – Utilize matéria prima de qualidade. Pó e água são os ingredientes principais de seu cafezinho. Quanto ao pó, dê preferência a marcas ou produtores de Serra Negra ou região, pois o café produzido aqui é de boa qualidade e ajuda a comunidade local. Procure usar cafés 100% arábica, eis que este possui características de qualidade única e é o plantado em nossa região. De preferência também as torras médias, e evite coisas do tipo “forte” e “extra-forte”, as torras escuras prejudicam o café, deixam a bebida mais amarga, sem acidez agradável e podem reduzir o teor de cafeina do pó. Utilize sempre água mineral. Seu café é no mínimo 95% água, o que faz este ingrediente fundamental para uma boa xícara.

2 – Utilize recipientes limpos e bem lavados. Porta-filtros, garrafas térmicas e bules com cheiro forte de café após lavados e secos, significam que está na hora de trocar seu equipamento, principalmente o coador. O material plástico de seu coador se torna poroso com o tempo, e esses microporos podem reter fungos e bactérias, além dos óleos de cafés anteriores, fato que deixa a bebida com gosto ranço.

3 – Coloque a água para ferver. O assunto ferver ou não, é complicado; o ideal seria que o café fosse coado com a água entre 93?C e 95?C, porém como a maior parte das pessoas não utiliza termômetro para preparar o café, existem duas opções: A primeira é deixar a água esquentar até as primeiras bolhas começarem a se formar e soltar do fundo do recepiente utilizado, ou deixar a água ferver, desligar o fogo e esperar cerca de um minuto para que esta esfrie um pouco. A água abaixo de 93?C deixa o café aguado e acima de 95?C o deixa áspero, amargo e pesado.

4 – Dobre o filtro de papel na marca da junção lateral para evitar vazamentos ao coar, e o coloque sobre o coador. Não reutilize seu filtro e evite filtros de papel ou tnt laváveis. Filtros de pano podem ser utilizados, porém rapidamente eles ficam sujos, por isso os lave bem após cada cafezinho e utilize- os por um período máximo de 2 meses.

5 – Derrame um fio de água aquecida sobre o filtro de papel até que ele esteja completamente úmido, isso elimina o gosto típico de papel do filtro e pré aquece seus equipamentos. Descarte esta água.

6 – Coloque o café sobre o filtro na medida de 8g a 10 g (uma colher de sopa) por 100 ml. Vá adicionando um fio d’agua até umedecer todo o pó e aguarde uns 30 segundos. Isto melhora o fluxo de água no coador e a extração da bebida.

7 – Despeje o restante da água de forma constante e circular sobre o pó, e evite completar o coador com água, assim que ela baixar. Variar o volume de agua irá prejudicar em muito a extração do café.

Dicas: Não adoce a água que vai passar o café, adoce o café na xícara, não mexa o café dentro do filtro com uma colher, e jamais ferva a agua com o pó. O armazenamento do café em garrafa térmica pode ser de no máximo 2 horas.  

Veja notícias

05
FEV

Ministra afirma que café será prioridade na agenda do Governo

15
JAN

Qualidade dos cafés brasileiros melhorou, diz pesquisa

07
JAN

Soja: cuidados na fase de florescimento podem incrementar colheita em 30%

26
NOV

Safras eleva previsão de produção de soja 18/19 do Brasil a recorde de 122,2 mi t